quarta-feira, outubro 18, 2006

A campanha eleitoral

Esta campanha presidencial tem sido a mais vazia de propostas de todas as acompanhadas por mim até hoje!
O candidato à reeleição, acuado, decidiu centrar seus ataques ao candidato adversário em duas frentes: na primeira, coloca em dúvida a continuidade de todos os projetos sociais atualmente implementados, esquecendo-se [convenientemente] que o "Bolsa Família" nada mais é que a aglutinação de diversos projetos criados no período FHC.
Na segunda frente, a mais demagógica, pretende ressuscitar o ultrapassado debate: privatismo vs estatismo. Quanto a este assunto, vale destacar que desde a privatização da telefonia, Embraer, CSN, Vale do Rio Doce, entre outras que apresentaram visível melhora na execução de suas atividades empresariais, está comprovado que num regime capitalista o Estado não deve atuar como se particular fosse, administrando empresas ou executando serviços, por exemplo. A atividade estatal neste caso, restringe-se a regulamentar tais atividades.
A meu ver, o Brasil deve assumir sua faceta capitalista, adaptando-se totalmente a este regime, caso não seja esta a opção, deve adotar o socialismo, adaptando-se igualmente, a este outro sistema. O que não pode é ficar com um pé no capitalismo e outro no socialismo.
Ora, se Lula de fato, é inimigo das privatizações por que não reestatizou - ou pelo menos tentou reestatizar - todas as empresas vendidas no governo FHC? Seria isso muito difícil? Então por que pelo menos não abriu uma auditoria para investigar todo o processo? Já que repete tanto terem havido diversas irregularidades. A resposta é simples: mentira! O atual presidente é tão privatista quanto seu adversário.
Lula, certamente, agradece aos céus todos os dias, por não ter precisado realizar estas grandes privatizações, pois assim pode se utilizar deste discurso debochado, como tem feito.
Enfim, tudo nos leva a crer que até o fim da atual campanha eleitoral, não deveremos ter qualquer debate sobre projetos, a tendência é que continuemos a ter de um lado, o candidato tucano batendo na tecla da vergonhosa corrupção praticada por altos membros do atual governo, e do outro o candidato petista, repetindo seu discurso demogógico, acusando seu adversário de ser privatista e pretender acabar com o "Bolsa Família". E o pior é que nós temos de escolher um deles...estamos fritos.

7 comentários:

Lena Casas Novas disse...

Omar a qto tempo! por pouco não vimos o Alckimin pegar no gogo do Lula e perguntar, cadêo o dinheiro?ahahah.Não se fou em proposta e munito menos no futuro do Brasil.Uma coisa eu conigo lembra.O aerolula vai ser privatizado, digo vendido!

GIOVANNA disse...

Adorei este texto!Pena o país em questão ser o nosso.

Márcio Pimenta disse...

Omar,

Apenas uma pequena observação. Não existe nenhum comprovação de que empresas privadas funcionam melhores que empresas estatais. Podemos citar diversos casos de sucessos e fracassos em processos de privatização.

A meu ver, o debate não deveria ser centralizado em privatizar ou não as empresas, mas a quem a empresa servirá. A Vale do Rio Doce, por exemplo, pode ser a melhor empresa do mundo, mas usa nossos recursos naturais para servir ao capital estrangeiro.

Abraços!

Miss Supahstah disse...

É um pior que o outro...
Não gosto de nenhum dos dois, mas infelizmente é um deles que vem aí né?
Esta eleição tá mesmo vazia, e transformou-se até em piada: elegeram Clodovil, Frank Aguiar... Tenha dó, né... Muito chato isso.

Cássio Augusto disse...

Ouso discordar... hehe

1º - O Bolsa Escola que vc disse ser do FHC... é uma invensão do Governo do DF... na época comandado pelo petista Cristóvam Buarque...

2º - Lula está certo ao comparar seu governo com o de FHC/Alckmin... afinal... são tdos do PSDB... e caso vença terá a mesma política suja!!!

3º - ñ quero o capitalismo... e o socialismo está ainda distante... portanto... temos que continuar a caminhar na construção de uma alternativa... como agora... com os movimentos sociais e tals... discutindo mesmo o futuro!!!

Omar disse...

Márcio:
Realmente, a mera privatização não significa q a empresa funcionará melhor, é necessário q haja uma correta regulamentação da atividade, e se possível q seja criada uma entidade reguladora, cujos quadros sejam preechidos por critérios técnicos, sem qquer interferência política. Entretanto, negar q as empresas por mim citadas deram um salto de qualidade, na minha opinião é não querer ver o óbvio.
Até pq o problema não se refere ao dono do dinheiro, e sim o monopólio, se ao privatizar ocorrer uma simples transferencia do monopólio estatal para o privado, nada será bom mesmo.

Abraços

Cássio:
1 - Por mais q o FHC tenha copiado um projeto estadual, quem o implementou nacionalmente foi ele mesmo. O q é bom deve ser copiado independentemente da filiação partidária, dizendo isso vc faz um belo elogio ao ex presidente, q percebeu um bom projeto, e apesar de ser de seu principal adversário político o nacionalizou. O problema de copiar é quando o paradigma é ruim, exemplificando, corrupção sempre houve, e o PT a copiou, ou seja, o partido merece a mais dura crítica por ter copiado o q os tucanos deixaram de pior.
2 - Qto à comparação, Lula tá certo em comparar mesmo, o problema é restringir-se a isso...
3 - Qto ao terceiro item, se for possível, gostaria q vc explicitasse melhor.

Márcio Pimenta disse...

"Até pq o problema não se refere ao dono do dinheiro, e sim o monopólio, se ao privatizar ocorrer uma simples transferencia do monopólio estatal para o privado, nada será bom mesmo."

Todas as empresas que você citou foram simples transferências de monopólio. Essa coisa de que empresas privada funcionam melhor é uma grande falácia. Como eu disse, não existe nada que possa provar que uma empresa privada é mais eficiente que uma empresa estatal, em lugar nenhum do mundo! Pode pesquisar.

Essas empresas que você citou, de fato melhoraram muito e não poderia ser diferente. Sempre foram rentáveis e muito bem equipadas, mesmo quando ainda eram estatais. A Embraer sempre foi uma referência internacional, a Vale e a CSN são monopólios que servem so mundo inteiro, não teria como dar errado.

O problema é que privatizamos os monopólios e agora remetemos os lucros para seus acionistas no exterior. O Brasil? Cedeu mais uma vez as suas riquezas minerais...