quarta-feira, outubro 04, 2006

Advogado/Cliente! Ô relaçãozinha esquisita hem?

Quando eu estava na faculdade, a minha professora de Direito Civil certa vez disse que o cliente é o maior inimigo do advogado. Isso ficou na minha cabeça, por conta disso, quando peguei o meu número da OAB, eu elaborei um contrato de prestação de serviços, no qual duas cláusulas estão em negrito, sublinhado e itálico: os meus honorários e a que prevê que qualquer despesa referente ao processo deverá correr por conta do cliente. Além disso, antes dele assinar, sempre peço que leia todas as cláusulas, ao encerrar a leitura, sempre pergunto se existe alguma dúvida. Mas pelo jeito isso não basta!
Hoje, um dos meus clientes compareceu ao sindicato onde tenho atendido, aproveitei a presença dele ali e lhe apresentei algumas notas para serem pagas, coisa pouca, mas isso foi suficiente para o sujeito pirar:
- Eu tenho que pagar mais isso também? E os honorários? Ele perguntou, já com ódio no olhar (blergh).
- Sim, faz parte do acordo. Respondi.
- "Pera" lá doutor. Eu achei que todas as despesas estavam incluídas nos honorários.
Na hora eu fiquei realmente impressionado com aquilo e respondi:
- Ora, quando o senhor leva o seu carro para consertar o mecânico cobra a "mão-de-obra", mais o valor das peças que precisam ser trocadas. Não é? Sem contar que isto está no contrato assinado pelo senhor.
Nessa hora ele só me olhou e soltou essa:
- Mas acontece que com a mecânico todo mundo já sabe que é assim, agora, aqui o senhor me enganou, nunca tinha me falado que eu teria que pagar outras despesas que não os honorários! E se isso está mesmo no contrato, era obrigação do senhor me esclarecer, afinal eu sou leigo!
Ele batia nesses honorários a todo momento. E eu não acreditava no que estava ouvindo! Tinha feito com ele o mesmo que fazia com todos. Tinha entregado o contrato para ele ler antes de assinar, tinha lhe perguntado se queria alguma explicação sobre alguma das cláusulas, além de negritar as mais importantes. E ele não havia pedido nenhum esclarecimento.
Na mesma hora me virei e comecei a digitar a minha renúncia do processo. Falei para ele procurar um outro advogado que hoje mesmo eu iria protocolizar a minha desistência. Imaginei que fazendo isso ele pudesse recuar, mas que nada, o cara simplesmente se levantou e foi embora. Agora estou aqui com a petição de renúncia do caso nas mãos, pensando se devo mesmo renunciar. Devo?

14 comentários:

advogado.brasilia@hotmail.com disse...

Uaí, depende, se é um processo que lá na frente vai cair um dinheiro nos autos, e tendo sua procuração poderes inclusive para compensar valores, deixe rolar, faça sua parte e lá na frente desconte os honorários e as despesas comprováveis.

Márcio Pimenta disse...

Sugestão de título anotada! :)

De fato, o atual pode sugerir outras coisas, heheheheh!!!

Abraços e bom final-de-semana!

Anônimo disse...

Ai, já imagino o que me aguarda... Preciso começar a exercitar minha paciência urgente!

Aninha disse...

quem sou eu pra falar se vc renuncia ou nao... nao tenho nem nocao da pressao que vc sofre =D
mas acho que, da proxima vez vc deve colocar em negrito, fonte 46pt e vermelho. Aí, se o cliente nao ver vc doa um oculos pra ele^^

e eu nao fico mais tao brava, tenho 4 irmaos e todos dizem isso... mas pouco me importo, sabe? Nao mudo meu jeito de pensar por nada XP

Anônimo disse...

Sim.

Le Tümmler disse...

Concordo com a aninha, talvez a72pt ele entenda.. Já passei por isso várias vezes, meu pai é contador e já fez vários contratos parecidos com esses, no começo do mês eles vinham pra pegar a nota (e, supostamente, pagar) e faziam aquele estardalhaço. Isso que o meu pai cobra os honorários muito abaixo da tabela que o CRC propõe, pra aliviar as custas já que tem mais FGTS, GPS e o carvalho a quatro de coisa pra pagar...
abç!

MAURICIO disse...

CLARO QUE DEVE

ELE NÃO RECONHECE SEU TRABALHOSOU MÉDICO PEDIATRA AS PESSOAS NÃO GOSTAM DE PAGAR O QUE OS CONVÊNIOS NÃO COBREM ,TAIS COMO CHAMDOS FORA DE HORA,MAIS DE UMA CONSULTA POR MES,ETC.ATUALMENTE EU FALO AFINAL É MINHA PROFISSÃO, ARESPONSABILIDADE DOS ERROSOU ACERTOS SÃO MINHAS,SAUDAÇÕES

Terrosrista disse...

agora vc entende os problemas de um profissioanl de educaçao fisica..

Luly disse...

Se você renunciar, ele vai descobrir depois que terá que pagar tudinho mesmo. E pagará a outro. Então, fique com o cliente e vá exercitando a paciência.
Luly.

Omar disse...

Resolvi continuar no caso, pq como eu havia dito ao Marcos no Orkut, eu não estou numa situação financeiramente confortável, p/ ficar dispensando clientes por conta de um "desentendimentozinho" (caramba, q palavra gigante!) qquer. Se fizesse isso eu ia parecer aquela criança q logo na primeira dificuldade q encontra qdo está fazendo alguma coisa, desiste e começa a chorar. Creio q mais casos como esse vão surgir, e eu não posso ficar tirando o corpo fora sempre né?
Mas, valeu pelas sugestões. O próximo...

Jana disse...

Olá!
Poxa... o cara já criou esse caso todo antes de você começar a trabalhar?
Se eu fosse você, eu não largaria o caso, não!
Infelizmente, esse não será o último "cliente-mala" que você representará. Faça o seu trabalho na boa e como sugeriram por aqui: aumenta o tamanho da fonte rsrs

Beijo grande =)

Jana disse...

É isso aí, garoto!

Anônimo disse...

Ok, vá em frente e boa sorte. Não deixe de postar o desenrolar. Pode levar a histórias interessantes.

O meu 'sim' é explicado pelo meu lema: 'travel light'.

Abraço & stay ethical.

Tamires disse...

vEstou tendo um caso parecido, onde meu cliente é o homem e quem manda é a esposa dele. Antes de ganhar a causa dele a esposa já brigou para não me pagar os honorários. Agora ganhei a causa dele e a mando da esposa ele vem me pedindo cópia da procuração e não quer assinar um contrato de honorários. A causa é boa, mas as vezes dá vontade de renunciar, pois são clientes que não respeitam e não me valorizam. Mas como também não estou em situação financeira favorável, vou continuar e além de defender vou travar uma briga particular com o meu cliente que não tem voz ativa, é a mulher dele, que não é parte, quem manda. Que vergonha! Não, não renuncia, mostra a sua capacidade e faça valer seus direitos é isso que eu vou fazer. Abraços.