quarta-feira, novembro 01, 2006

Recado das urnas

Passadas as eleições, resta-nos agora tentar entender o porquê da ocorrência destes resultados.
No plano federal, o resultado foi mais do que previsível! Aparentemente, todos os escândalos de corrupção não abalaram o prestígio de Lula perante seu eleitorado, pois em 2002 ele foi eleito com 61,3%, contra 38,7% de José Serra, e agora, pelo número de escândalos ocorridos, sua votação baixou muito pouco, alcançando o percentual de 60,83 pontos, contra 39,17 de Geraldo Alckmin. Entretanto, apesar desse resultado, não acredito que o presidente Lula tenha a força, quase mítica, que aparenta ter, até porque muitos de seus aliados, tais como Olívio Dutra no Rio Grande do Sul, Aloísio Mercadante em São Paulo ou Espiridião Amin em Santa Catarina perderam, isto é, a transferência de votos não é automático.
A força de Lula está na fraqueza de seus adversários, muitos eleitores apesar de não concordarem com a corrupção havida no governo petista, o modo como a política econômica foi domada ou com alguns pontos da política externa, optaram por depositar seu voto nele a ter o PSDB, novamente, na direção da nação, ou seja, mais que dizer "sim" ao "lulismo", foi dito "não" ao "tucanismo", muito embora, não seja possível a "olho nu", enxergar uma diferença entre ambos os estilos.
Por falar nisso, outro ponto que deve ser lembrado ao ser feita uma análise do resultado dessas eleições, é que o eleitor em geral, não consegue enxergar uma diferença clara entre os membros da classe política, por exemplo, aqui no Paraná foi distribuída propaganda eleitoral na qual ligava o canditado do PDT, Osmar Dias, a Lula e a Geraldo Alckmin, ao mesmo tempo, o candidato do PMDB, Roberto Requião, adotou procedimento idêntico, por isso as pessoas fizeram o seguinte raciocínio: "todo político é igual, então eu vou votar em quem me ajudou!" E Lula ajudou muita gente com o Bolsa-Família e com os excelentes reajustes do salário-mínimo, estes seus dois cabos eleitorais mais relevantes.
No entanto, o que me chama mais atenção é a votação de Geraldo Alckmin, que foi inferior no segundo turno, em relação ao primeiro. Qual fator teria levado alguém a votar nele na primeira oportunidade, e não o fazer na segunda chance? A resposta a essa pergunta, a meu ver, não existe, podemos apenas especular: Algumas pessoas andaram dizendo que o candidato tucano foi muito duro com Lula no debate na Bandeirantes, não vejo dessa forma, entendo que o fator mais significativo neste aspecto foi o oportunismo demonstrado por Geraldo Alckmin, pois sendo ele do mesmo partido de FHC, o presidente que promoveu as maiores privatizações na história do Estado brasileiro, cabia a ele defender e justificar esta opção, e não simplesmente renegar o passado, comprometendo-se, supostamente, a não privatizar outras empresas, o povo ao contrário do que muitos pensam, não é burro, e viu essa atitude como inaceitável por ser obviamente eleitoreira.
Mas se eu for elencar os erros da oposição neste pleito, um post seria pouco.
Bom, agora chega de eleição, vou tirar umas férias desse assusto...vou ver até quando consigo!

2 comentários:

Cássio Augusto disse...

Cara... excelente o post e a análise... tenho a certeza que LULA ñ venceu pq é disparado o melhor... mas principalmente pq a outra opÇão era muuuuito ruim...

ah!!! "Blog do Cássio - petista" hehe

Omar disse...

Cássio

hehe, é q antes tinha um link de outro Cássio, o Barco, dono da "Blog tem q ter conteúdo", essa "alcunha" foi só p/ eu não confundir, caso ele volte a postar e eu coloque o link de novo.