sábado, novembro 18, 2006

Divagações na terceira pessoa - II

Cíntia, havia saído para dar uma volta, a fim de esfriar a cabeça, sabe? Sérgio ficou em casa, após sair do banho, decidiu ver televisão, pulava de canal em canal, e não encontrava nada que lhe trouxesse alguma paz de espírito. Desligou o aparelho e foi deitar, tentava esquecer aquela discussão que já era a terceira, em um mês de casado.

Ele estava questionando sobre a decisão de se casar. Notou, que na realidade ele não sentia saudades de Cíntia quando não estavam juntos, aquele momento por exemplo, sua esposa não fazia a menor falta, o detalhe é que sempre foi assim. Desde o namoro, Sérgio, sentia-se até melhor quando ela estava longe, porém, agora já era tarde o casamento estava consumado e não havia outra opção, exceto tentar uma reconciliação, muito embora isto lhe parecesse impossível, pelo menos pelos próximos dias.

Cíntia, chegou em casa espumando de raiva, passou o dia todo tentando falar com Sérgio, só que ele, por algum motivo, não estava no trabalho e não atendia ao celular. Não era a primeira vez que isso acontecia, e coerentemente, em todas as outras ela ficou furiosa. Exatamente por isso, ela estava mais nervosa, pois se ele já sabia qual seria a reação dela, por que ficar provocando? Pensava. Na cabeça dela, o motivo era um só.

Cíntia entrou em casa mais ou menos 7 da noite, Sérgio ainda não chegara, tomou um banho enquanto o aguardava. Quando ele colocou a chave na porta, ainda do lado de fora, Cíntia gritou:

- Onde você estava?

A raiva que aquela moça sentia, deixava-a incontrolável, não importava o que ele dizia, nada chegava perto de seu ouvido, quanto mais entrar, mesmo que fosse para, imediatamente, sair pelo outro. Ela dizia que ralava o dia inteiro, enquanto ele simplesmente saía do trabalho para passar o dia inteiro fora, e ainda por cima, sem atender o celular. Sérgio, no início tentou esclarecer alguma coisa, mas logo desistiu quando notou que mais uma vez, qualquer palavra dita por ele seria "solenemente" ignorada. Saiu da sala, foi para o quarto, Cíntia veio atrás, dizendo saber exatamente onde ele estava, que se ele pensava que podia enganá-la, estava muito errado, que iria contar para a mãe dela, para a mãe dele, para os amigos dela, para os amigos dele, enfim, todos iriam saber o que ele estava "aprontando".

Ao ouvir esse final, Sérgio se voltou contra ela, impressando-a contra a parede, naquele momento, pela primeira vez Cíntia teve medo de seu marido, ele estava com os olhos cheios de ira, e gritou três vezes para ela calar a boca, isso a dois dedos de distância. Ele a largou, foi tomar um banho, e ela foi dar uma volta, depois foi à casa de uma amiga.

Chegou à casa de Eliana, esta ouviu a campainha e ao abrir a porta recebeu Cíntia que estava com os olhos marejados, porém, sem perder a compostura. Eliana morava sozinha, há algumas quadras de distância, numa casa luxuosa. As duas sempre foram amigas, embora fossem de "mundos" completamente distintos. Eliana, com sua doçura tradicional, atendeu sua amiga, deu-lhe um abraço e a chamou para entrar, já imaginando o que teria ocorrido. Cíntia, não dizia nada, até perguntar se ela achava que o casamento teria sido um erro. Eliana repondeu:

- Por que você me pergunta isso? Antes de você casar, quando ainda estava namorando e veio me dizer que vocês iriam noivar, lembra quais foram as minhas palavras? Se não lembra, tente lembrar, a minha parte eu fiz. E mais, lembra qual foi a sua reação?

Cíntia respondeu:

- Verdade, quem dera eu tivesse te ouvido, está acontecendo tudo que você tinha falado...

3 comentários:

eder disse...

e ai omar, gde abraço meu parceiro, entao fikei sabeno da continuação sim, o orçamento sera maior q o 3º e parece q jessica alba esta conversando c os produtores...
e pod ter certeza, sequencias sempre dao medo...

e o formador d opinioes, como sempre está fantastico...
parabens.

Marcio disse...

Bom conto, mas acho que poderia ter uma finalização melhor.
En geral, gosto do seu blog.
Faça uma visita ao meu.
http://emlugaralgum.blogspot.com/

Eliana-Lee disse...

Omar, parabéns pelo blog, a começar pelo nome!
Gostei muito do conto (ainda mais pelo fato de uma das personagens ter o meu nome! rsrs). Enfim, continue postando e sempre q puder estarei te visitando.
Bjos, Lee