segunda-feira, maio 14, 2007

Dogmas católicos em xeque?


A passagem do Papa pelo Brasil foi um prato cheio para quem tem como esporte preferido, atacar os dogmas da Igreja Católica, grupo do qual, categoricamente, me excluo (acredite se quiser).

Em primeiro plano, vale dizer que o cristianismo católico, por meio de seu líder supremo enquanto esteve por estas terras, reafirmou sua posição contrária ao aborto, homossexualismo, sexo antes do casamento, métodos contraceptivos, entre outros pontos. Isso por si só foi motivo para que algumas pessoas começassem a tecer todas as críticas possíveis, e até as impossíveis em relação a tais posicionamentos. No entanto, por incrível que pareça, a maioria dos ataques desferidos mostraram-se, totalmente, irrelevantes para provar o quanto a Igreja está equivocada. O problema, a meu ver, é que a maior parte destes críticos não enfrenta questão de frente. Estes, via de regra, em momento algum nos mostram onde está o erro cometido pelo Papa e consequentemente por seus seguidores.

Digo isso porque não se pode esquecer que o cristianismo, em especial o catolicismo, prega a existência de valores absolutos, isto é, devem valer para qualquer época e local. Por exemplo, tanto no novo quanto no antigo testamento da bíblia, há a proibição de matar, em seguida, arbitrariamente, decidiu-se que a vida se inicia no momento da concepção, por isso, nunca um Papa poderá se posicionar em favor do aborto ou da eliminação de embriões para pesquisas com células tronco. Outro exemplo de crítica injusta é a que se refere ao uso da camisinha. Muita gente diz que é uma vergonha um Papa ser contra seu uso, pois muitas pessoas têm morrido após contrair AIDS. Me parece ser este raciocínio simplista demais. Antes de mais nada é preciso esclarecer que esta questão não pode ser analisada de forma isolada. Faz-se necessário trazer à tona outro tema: o sexo antes e fora do casamento. A Igreja, com base na bíblia proíbe. E não se pode negar - exceção feita aos casos em que os sangues se misturam - que quem seguir a risca este mandamento, não tem risco de ser infectado pela, famigerada, AIDS. Ou seja, somente na hipótese da Igreja um dia admitir sexo fora do casamento - coisa que nunca irá acontecer, pelo motivo que eu já mencionei - é que poderia haver uma razão para se admitir o uso da camisinha como precaução a doenças sexualmente transmissíveis, caso contrário estaria havendo grave ofensa ao princípio lógico da não-contradição. E se existe uma acusação que não pode ser imputada à Igreja é de ser contraditória.

Quem, como fez o Lobão, diz que o Papa é uma "excrescência anacrônica" erra o alvo feio. Seria o mesmo que dizer que a pena de morte aplicada em certos estados norte-americanos é um absurdo já que a Constituição do Brasil a veda expressamente. Ora, os norte-americanos devem respeitar a Constituição deles e não a nossa. O mesmo vale para que critica o catolicismo, sem levar em consideração a bíblia. Diante da constatação de que a Igreja Católica funda sua doutrina na bíblia e esta prega valores absolutos, a única forma de argumentar de forma válida contra a postura católica de condenar algumas situações, seria demonstrando o erro na interpretação deste livro, senão estaríamos diante de uma enorme falácia.

4 comentários:

junior disse...

Olá Omar,
Cheguei através do Márcio, que nos citou em seu post, gostei bastante do seu blog.
Bom, eu acredito no livre arbítrio. Acho que todas as religiões (e gosto bastante de ler sobre elas apesar de não ser seguidor de nenhuma) tem seus dogmas, a católica não é diferente. O próprio papa deixou claro que igreja é fé, nada muito além disso. Acho que as pessoas devem agir em concordância com a sua fé (dentro de certa ordem social, claro), sexo antes do casamento? Pode ser, a 50 anos atrás as pessoas se casavam com 15, 16, 17 anos... normalmente entes dos 20. Hoje se casam chegando nos 30, quer ficar sem sexo esse tempo todo depois da puberdade? Por mim tudo bem, que fiquem. Mas é uma questão de opção pessoal. Podem ter medo de estar pecando? Pode ser, mas imagine se a igreja disse que não é mais pecado, não seria estranho que uma instituição decidisse isso, assim como decidiram que o limo não mais existe? Eu acho estranho. rsss
Bom, como você disse, são assuntos que merecem bastante reflexão, de mente aberta.
Um grande abraço e mais uma vez, parabéns.

Fábio C. Martins disse...

O Papa diz o que tem que dizer àqueles que o seguem, pois, para os que não seguem os preceitos católicos, de nada vale o que foi dito.
Como você disse, não dá pra analisar sem antes conhecer o embasamento por trás do que foi falado.

E acredito que se levassemos a idéia do sexo só depois do casamento adiante, possivelmente, não haveria tanta gente nesse mundo, melhorando consideravelmente, a qualidade de vida dos que aqui ficariam.

Bom, longe de mim, pensar em um controle populacional, mas que a idéia se aplica na prática, isso não dá pra negar.

Abraços

Cássio Augusto disse...

Assim... o problema é que estes Dogmas ñ são tão Dogmas assim... muito pelo contrário... são construídos históricamente... aliás... tem um livro do Ronaldo Vainfas que vale a pena a leitura... qdo terminar meu trabalho da Facu sobre o assunto eu posto algua coisa!!!

E no mais... o Papa é um lider político... eleito por seus pares... portanto... nda melhor que outro religioso!!!

Anônimo disse...

O problema é que vocês deveriam cuidar de coisas mais importantes que ficar atacando uma igreja que hoje procura ser limpa e pura...vai caçar o que fazer e que Deus o abençoe mesmo sendo um idiota