sexta-feira, setembro 22, 2006

Análise dos principais candidatos ao governo do Paraná

O senador e atual candidato ao governo do Estado do Paraná, Osmar Dias, foi um dos secretários no primeiro governo de Roberto Requião quando este foi eleito em 1990. Nestas eleições é apoiado pelos mensaleiros do PP e do PTB. Este candidato ficou mais conhecido por ter elaborado um projeto de lei que flexibiliza os direitos trabalhistas, ou seja, na prática este projeto deverá acabar com maioria dos direitos dos trabalhadores brasileiros. Por isso eu digo - como votar em alguém com estas credenciais? Diante disso, eu fico imaginando qual seria a opinião do grande Leonel Brizola, sobre o projeto de lei deste candidato, sobre o apoio dos mensaleiros, enfim, sobre tudo que está acontecendo com o PDT paranaense.

Flávio Arns, candidato do PT foi eleito senador ao lado de Osmar Dias nas eleições de 2002, e durante estes quatro anos de legislatura não se ouviu falar em seu nome, esse é o típico candidato "copa do mundo", só aparece de quatro em quatro anos. À título de curiosidade, vale registrar que num dos debates realizados nesta campanha, o candidato ao ser indagado se ele uma vez eleito, iria utilizar-se dos mesmos métodos adotados pelo partido dele, o PT, para administrar o Paraná. O candidato petista - que mais me lembra o senador Eduardo Suplicy, aquele mesmo, pai do Supla, tal a sua aparente falta de jogo de cintura na cena política - afirmou que sim, os mesmos métodos seriam aplicados aqui. Ou seja, se este senhor for eleito, mensalões, dossiês, etc, estarão à caminho.

Como votar em Roberto Requião? Um sujeito mentiroso e bravateiro. Nas eleições de 1990 foi o Ferreirinha, em 2002 foi o pedágio, as 200 mil casas populares, o seguro em favor dos agricultores entre outras diversas promessas que ao ser eleito foram convenientemente esquecidas. Um candidato que conta com a memória curta da população para se eleger, na minha opinião, não merece o voto dessa mesma população.

Antes de falar deste candidato vale fazer uma referência ao atual candidato à presidência Eymael (Ei ei Eymael, o democrata cristão) que num dos primeiros programas eleitorais da safra atual, disse que o seu projeto era chegar ao poder. Ao que me parece, para Rubens Bueno a idéia é a mesma. O candidato do PPS é a prova de que o fisiologismo prevalece no final! Antonio Gramsci, grande filósofo socialista, certa vez disse que a política pode ser dividida em "grande política" e "pequena política", aquela defende os interesses da nação como um todo, procurando desenvolver o país na sua universalidade, enquanto que a "pequena política" é aquela política de corredor, o famoso "toma lá, dá cá", em outras palavras o fisiologismo político, prática na qual o PMDB é mestre. No caso deste candidato, ao se aliançar com o PFL, ex-partido de Jaime Lerner, e atual do Cassio "Caixa 2" Taniguchi, demonstra que o único objetivo é chegar ao poder, isto é, a pequena política superou a grande política.

Para quem não sabe o PPS surgiu na esteira do fim do comunismo, alguns integrantes do Partido Comunista Brasileiro concluíiram que não valia a pena continuar num partido comunista quando os maiores pilares deste sistema de governo não existiam mais, e criaram a sigla.
Enquanto isso, o PFL surgiu quando o antigo PDS, atual PP, escolheu Paulo Maluf para concorrer contra Tancredo Neves na primeira eleição para presidente pós ditadura. Alguns integrantes insatifeitos com a escolha criaram este partido. Ocorre que o PDS era a antiga Arena, partido símbolo da ditadura militar, que tomou o poder porque temia que os comunistas o fizessem quando Jânio Quadros renunciou, i.e., eram inimigos do comunismo, por extensão do PPS! Mas, pelo jeito, para chegar ao poder Rubens Bueno aceita apoio até do diabo se for preciso. O problema é que uma vez eleito, o "diabo" vai querer a parte dele no acordo.

7 comentários:

Caco disse...

Post educativo.
Pessimista mas educativo.
Abraço.

The human who sold the world disse...

Será q vou pro inferno se votar nulo? rs

Bruna Rasmussen disse...

ooopa! esse post veio em boa hora!!! não fazia idéia em quem votar pra governador.. agora já estou um pouco mais esclarecida haha

será que rola fazer um com os menos piores candidatos para dp. federal e estadual?

*abusando da sua boa vontadade* haha
beijos

Cássio Augusto disse...

É... mas ainda o único que ñ tem um passado político ruim é o Flávio Arns... e o PT do Paraná ñ está envolvido com nenhuma falcatrua!!!

Márcio Pimenta disse...

Bem realista o seu post. Gostei muito. E pensar que ainda assim vocês tem melhores opções que nós, baianos.

Abraços!

P.S.: Respondi a sua pergunta no comentário com outro post.

Kafé Roceiro disse...

Você realmente é formador de opinião. Gostei muito do seu Blog. Volte sempre lá no Kafé pra tomá uma pinguinha com torresmo, falou?

Liliane de Paula disse...

Omar não sei se o projeto desse Osmar Dias é tão ruim assim para trabalhador. Acho que lei não tem que ser boa para mim ou para o outro. Tem que ser justa. E as leis trabalhista aqui são leis sempre contra o patrão.
Liliane de Paula