quarta-feira, março 19, 2008

Tchau, tudo mal!


Paulo Henrique Amorim, foi dispensado pelo IG, o que me deixou bastante surpreso. Não pela dispensa em si, pois esta era previsível, diante do conteúdo do material produzido e, principalmente, pela iminente compra da Brasil Telecom pela Oi, mas pelo tempo que demorou. Blogs como o de Paulo Henrique Amorim, que não prezam pela apuração de fatos, servindo mais como porta-vozes políticos, não devem estar hospedados em grandes portais, pois estes "cães de guarda" são um fardo pesado demais para eles.


Depois expulso da festa, o blogueiro lulista está num novo endereço, o que me parece ser o mais correto, já que tudo o que é produzido por esta espécie blogueira não passa de mero palpite pessoal, sempre torcendo os fatos para favorecer este ou aquele lado. PHA não é diferente! Pelo contrário, é um dos principais exemplos deste tipo de "jornalismo político". O domínio próprio é o mais apropriado, demonstra mais isenção (embora isso nem sempre seja verdade) além de afastar por completo (?) o risco de censura imposta por patrões pouco preocupados com algo além de dinheiro.


Por isso, se esta fosse a alegação do IG, fosse que PHA produzia um conteúdo vexatório para um portal com tamanha relevância, embora mentirosa, ninguém poderia dizer muita coisa. Porém, eles optaram por trilhar o caminho mais difícil, disseram que o Conversa Afiada, tinha baixa audiência. Sei... 475 mil visitas únicas por mês é pouco...eu também acho, afinal, eu sozinho tenho muito mais que isso...! hahaha...quem dera..., para um blog que só trata de política é um número de acessos excelente, assim, está claro que a razão é bem outra, não muito difícil de se descobrir. O negócio da compra da Brasil Telecom pela Oi, deve estar fechado.

Reinaldo Azevedo

Como não poderia ser diferente, quando soube que o Conversa Afiada foi retirado do ar, o Boto Azevedo só faltou colocar sons de fogos de artifício em seu blog. Imagina ter vencido a batalha. Sua felicidade foi tanta, que ele acabou me dando razão para dizer que sujeitos da laia do próprio Boto, não podem fazer parte de qualquer empresa jornalística que queira um dia, ser conhecida como sinônimo de credibilidade:



"Não cabe a mim especular por que o sr. Paulo Henrique Amorim, cujo jornalismo se tornou notório, foi demitido do iG. Sei lá. Ele deve alegar que é porque a Oi vai mesmo comprar a Brasil Telecom. Eu prefiro pensar que o iG o dispensou em razão do tipo de jornalismo que ele pratica.

...

...a operação BrT-Oi é uma desculpa verossímil para a demissão, mas não necessariamente verdadeira. Prefiro pensar que o iG pode estar fazendo a opção pelo jornalismo que honra a apuração, a independência, o bom texto, o jornalismo etc. Será isso? O tempo vai nos dizer, não é mesmo?"

Antes de tocar no ponto principal, vou abrir um rápido parêntese para dizer que se o Boto estiver certo, quando prefere pensar que o IG resolveu tirar o PHA do ar por ter feito opção pelo "jornalismo que honra a apuração, a independência", imagine o que vai acontecer com o seu espaço se a Veja resolver seguir o exemplo! A sorte dele é que esperar isso da Veja equivale a esperar que a lei da gravidade seja revogada.


Fechado o parêntese, como você pôde notar, o blogueiro da Veja concorda comigo. E pelos mesmos motivos. Blogs "cães de guarda" não podem estar em empresas sérias uma vez que estes sujeitos não apuram nada, escrevem para os seus, não se preocupam em checar coisa alguma, não se importam se aquilo que estão escrevendo está correto - ao menos para eles próprios. Eles se contentam em "preferir pensar" desta e não daquela forma. Não pergunte a eles como chegaram àquela conclusão contida em seus posts, eles não irão responder. Provavelmente, dirão que preferiram pensar daquele jeito e não do outro.


Enfim, no caso do PHA, embora o real motivo seja outro, no final das contas, fez bem para a imagem do IG tirá-lo do ar, já que o portal, estava ligado ao jornalista de forma tão profunda que era impossível pensar em um sem associar ao outro, exatamente como ocorre com a Veja/Reinaldo Azevedo. O que não é nada bom para quem quer ser lembrado por um jornalismo com credibilidade e não como mais um porta-voz de uma corrente política qualquer.

5 comentários:

Arthurius Maximus disse...

Acho que o papel de PHA na Record, onde promoveu "ataques" contra o Grupo Folha, apresentando reportágens/marketing da Igreja universal; foi papel preponderante na demissão. Ele "queimou seu filme" ao fazer o "jogo dos bispos". Esquecendo-se que jornalismo deve ser a busca pela verdade e não encampar as idéias de que paga seu salário.

Dorian disse...

Omar,

Bastante lúcidas suas ponderações. Principalmente por você não dar credibilidade a Reinaldo Azevedo, o que na esmagadora maioria dos casos significa ser fã do Paulo Henrique Amorim.

Você enxerga nos dois a mesma prática servindo a senhores distintos, o que é uma visão que foge totalmente ao lugar-comum de colocar os dois em posições antagônicas (moralmente falando).

Cássio Augusto disse...

è... PHA está tbém a serviço da Universal na guerra contra a Folha e a Globo... mas sabe... ñ vejo tanto problema nisso... imparcialidade ñ existe... pelo menos a posição de PHA ñ é escondida sob o rótulo de "jornalismo imparcial" e etc...

Éder disse...

e ai rapaz, como tah as coisas?

estou entrevistando tds meus parceiros do blog CINEMA E PIPOCA, e keria saber se vc nao estaria interessado em participar..

falaremos sobre seu blog primeiramente, e depois algumas perguntas sobre... CINEMA, claro...

espero que participe, dai estarei mandando as perguntas... abraços e desde jah obrigado


e parabens mais uma vez pelo blog...

Márcio Pimenta disse...

Excelente texto, um dos melhores que você escreveu. Gostei da referência a lei da gravidade, ri muito.

Abraços!