segunda-feira, dezembro 18, 2006

Balanço de 2006

A julgar pelos últimos posts, este blog está prestes a se transformar num daqueles "diarinhos virtuais" de menininhas de 15 anos, para isso, só está faltando escolher um template "by Máximus"! O problema é que eu devo ter sido infectado pelo vírus do narcisismo, essa doença que faz o infectado crer piamente, que existe alguém no mundo interessado em saber algo de sua vida, mas prometo que estou me tratando e logo estarei bem.
Esta será a última atualização no ano, pois a partir de hoje começam as minhas férias e apesar de não poder de sair de Curitiba, quero aproveitar esse tempo para fazer coisas totalmente diferentes das que fiz durante o ano inteiro, (inclusive, hoje em plena segunda-feira a tarde, vou ao cinema... falando nisso, os cinemas funcionam em plena segunda-feira à tarde?) por isso só estarei de volta no ano que vem.

No post anterior, basicamente, tratei de um detalhe da minha personalidade, neste, pretendo fazer um balanço do ano que está se encerrando. Bom, chega de papo furado e vamos a ele:

Entrei em 2006 formado, isso por si só foi motivo de enorme satisfação de minha parte, afinal cursar uma faculdade de Direito numa Universidade privada, para alguém com a minha condição financeira não é mole! Em várias oportunidades pensei que não chegaria ao final sem precisar trancar algum semestre, por isto, quando consegui concluir o curso sem parar nenhum período e ainda por cima, conseguindo pagar a cerimônia de formatura com baile e tudo, foi algo realmente inacreditável.

Entretanto, de nada adianta ser formado em Direito, e não passar no Exame de Ordem - que o digam vários dos meus colegas de turma - afinal de Bacharéis o mundo está cheio. Passada a euforia da formatura, veio a apreensão típica dos grandes desafios, isto porque eu não tinha certeza da minha aprovação. Para minha sorte, um dos cursos preparatórios da cidade me ofereceu uma "bolsa" para participar do seu curso específico para a prova da OAB-PR, no meu caso, esse preparatório foi decisivo para minha aprovação na segunda fase. Nesta etapa a prova é composta por 5 questões práticas e uma peça processual (petição), direcionadas a uma área do Direito, e embora eu tenha feito diversos estágios, a exceção do Núcleo de Prática Jurídica da PUC, onde atuei na área penal, nos demais escritórios nenhum deles me permitiu elaborar qualquer peça processual. Durante 3 meses devo ter feito umas 100 peças.

Até que chegou o dia da prova, mas antes disso, vale esclarecer que no ato de inscrição do Exame, é possível escolher por fazer a prova de Direito Penal, Trabalhista ou Cível, a minha opção foi pela Trabalhista. Nesta área, até o Exame anterior ao que participei, somente três peças processuais foram pedidas: petição inicial, constestação (resposta do réu) e recurso ordinário; e não é que justo no primeiro exame de 2006, a OAB-PR resolveu inovar, e nos preparou um Mandado de Segurança? Por sorte eu estava com o material adequado (isso mesmo, a prova é com consulta!) e consegui fazer o que era preciso para ser aprovado.

Entretanto, de nada adianta passar no Exame de Ordem e não ter clientes. Confesso que novamente, duvidei da minha capacidade. Como disse antes, eu fiz vários estágios e se estes, pouco serviram para me ajudar a aprender a redigir peças processuais, pelo menos serviram para mostrar que eu não sirvo para entrar num escritório formado. Por este motivo decidi me largar na selva e disputar clientela com os reis desta mesma selva. Imaginem a cena, um coelho resolve de uma hora para outra passar a comer carne, e para isso, começa a disputar as presas com leões, leopardos, hienas, entre outros. Logicamente, outra vez tudo se dificultou, no entanto, vencida uma certa dificuldade inicial, as coisas começaram a melhorar, e os clientes, aos poucos, começaram a chegar. Hoje tenho um número satisfatório, com tendência a melhorar no ano que bate à porta.

Porém, como não podia deixar de ser, nem tudo é motivo para felicidade! Desde 2004 eu estagio num Sindicato de trabalhadores, o problema é que esse estágio sempre esteve fora da minha atividade jurídica, ao me formar, imaginava que teria um reajuste de salário, além de passar a fazer parte do corpo jurídico da entidade; num determinado dia o presidente me chamou e disse que me daria este aumento, bem como me promoveria a advogado do Sindicato, porém, estou esperando a efetivação desta promessa até hoje, pois continuo sendo "estagiário".

Além disso, outro detalhe me incomoda, durante a faculdade, várias matérias eu detestava, mas uma, eu destestava em especial: Direito Tributário! Ocorre que agora, para minha surpresa, depois de formado, ao que parece estou me tornando advogado de um único tipo de causa, porque destes clientes que eu falei que estão começando a me procurar, 90% vem para propor um único tipo de demanda, e o que é pior, justamente na área Tributária. Pois é, assim como um rio, que tem o seu curso pré-determinado, mas que uma vez ou outra transborda-o, o rumo de nossas vidas, em certas ocasiões sai do nosso controle, e em vez de nós dizermos para onde queremos ir, é como se entrássemos num taxi e o motorista é quem nos dissesse onde deveríamos descer. Este fato de me transformar em advogado de uma ação, me deixa um tanto frustrado, pois não era isso que eu tinha em mente na época em que eu não passava de um mero acadêmico, ou seja, este quadro espero que seja alterado no próximo ano.

Enfim, como ficou claro, 2006 foi o ano das realizações profissionais, e no final das contas, acabou sendo um ano muito bom para mim, que venha 2007, e traga o casamento que por enquanto está apenas no horizonte...
Até o ano que vem pessoal, feliz natal e feliz ano novo para todos!

8 comentários:

terrosrista disse...

os leitores agradecem

Caco disse...

Rapaz! Foi um prazer inenarrável ter conhecido você na blogsfera em 2006. Continuarei voltando por aqui para ouvir suas opiniões e polêmicas - estas são as melhores! Descanse nestas férias, bom Natal e um excelente 2007. Abraço.

Márcio Pimenta disse...

Omar,

Parabéns por tudo que alcançou neste ano de 2006, tenho certeza que 2007 será ainda melhor.

Cuidado com clientes da área tributária. Conheço um contador que me diz que tinha um escritório enorme e hoje possui gatos pingados por que se recusa a burlar a lei.

Abraços!

Márcio Pimenta disse...

Caro Omar,

Você foi um dos amigos que mais tive satisfação em conhecer neste ano de 2006.

Venho te desejar um feliz Natal e um ano novo repleto de realizações.

Abraços do amigo, Márcio Pimenta

Felipe disse...

Parabéns pelo blog.
Acabei de conhecer e já gostei muito.
Feliz 2007

Márcio Pimenta disse...

Caro Omar,

Mudei de casa (você ainda não esteve lá!) e estou solicitando a todos os parceiros que modifiquem o link do meu blog para este aqui:

http://www.pimentanosolhos.net/

Aproveito para desejar um 2007 de muitas felicidades.

Abraços!

P.S.: o link anterior apenas redireciona para o blog atual! Para linkar direto é necessário que se faça a troca.

Fr. Domingos da Santa Paciência disse...

Vim aqui para retribuir a tua visita e o teu comentário no Tapornumporco, num longo post sobre as relações entre o Estado e a Igreja, envolvendo-me a mim e ao amigo JPC.
O teu blog é uma agradável surpresa, muito especialmente porque me apercebi que és uma pessoa apostada em subir na vida pelo estudo e pelo trabalho. 2006 correu-te bem, parabéns pela licenciatura e que 2007 te corra melhor.
Virei mais vezes.

Anastasia13 disse...

Hello!
I didn't understand a word of your comment on my blog!
Ha ha ha!